Roteiro Turístico

A cultura de um povo está naquilo que tem à sua mesa, no que melhor sabe fazer, no que resulta seu labor e nos ditames do sabor´. Estamos perante uma região cuja cultura remonta a períodos ancestrais, uma terra antiga e regida pela natureza, com tradição na lavoura e na pecuária, onde o cultivo de vinhos está documentado nos períodos romano e idade média. Uma terra de costumes caseiros fortes e enraízados, ditados pela vida no campo e pelo destino do seu vinho. Arcos e Mogofores são possuidoras de um património que é, essencialmente, uma herança cultural. Pode ostentar séculos ou milénios, mas deve ser sempre entendido como um conjunto de manifestações que emana dos mais diversos graus do conhecimento humano, gerado por múltiplas gerações que, à sua maneira, compreenderam a necessidade de transmitirem algo aos vindouros. 
Quem visita as Freguesias de Arcos e Mogofores, não pode deixar de passar pelos Paços do Concelho, Igreja Paroquial de Arcos, Igreja Paroquial de Mogofores,  Capela de São Sebastião, Capela de Nossa Senhora das Febres,  Capela de São Mamede, Cruzeiro de Arcos,  Museu José Luciano de Castro,  Museu do Vinho, Casas Senhoriais nos diversos lugares da Freguesia.
 
ROTA DA BAIRRADA
Bairrada é uma região vinícola portuguesa situada na Beira Litoral, que se estende entre Águeda e Coimbra até às dunas do litoral Atlântico. A região tem a classificação DOC, Denominação de Origem Controlada e destaca-se pelos tintos de cor densa e elevados taninos1 , da casta local Baga, embora se notabilize também pelos vinhos brancos e espumantes qualidade, resultado da diversidade de solos. A Bairrada faz fronteira a norte com a região de Lafões(IPR) e a este com a região Dão (DOC).
A Bairrada tem um clima suave, temperado pela proximidade do Oceano Atlântico. Nesta região de terras planas destacam-se dois tipos de solos que originam vinhos diversificados: os argilosos ou barrentos, que deram origem ao nome Bairrada, e os solos arenosos.
Apesar da produção de vinho existir desde o século X, foi no século XIX que se transformou numa região produtora de vinhos de qualidade tintos, brancos e espumantes, com os viajantes a pararem nesta região para comerem o famoso leitão da Bairrada e beberem os seus afamados vinhos.